2017 Awards (by FMC)

Hail MetalHeads! Que tenham um excelente e o melhor inicio de ano… 2017 foi repleto de bom som a nível geral(ainda falta muita musica para ouvir…). Não vou lançar um “Best of “mas sim apenas menções honrosas de álbuns e single´s deste encerrado e ainda fresco capitulo.

Enslaved – E

Li algumas boas reviews sobre este álbum e dei uma olhada. Sem duvida passou  para os meus favoritos de 2017… Prog/Death/Extreme metal; Palavras são pouco para descrever “E”. Obra-Prima talvez!? Não percam a oportunidade de ouvir este!! Excelente.(+)(+)(+)

 

Trashada/Death/Hardcore à anos 90, muita qualidade!  Power Trip (+)(+)

Mais soft, mais directo; Emperor of Sand é equilibrado, audível do principio ao fim; foi muito bem recebido pela comunidade metaleira… Vale pela consistência e diversos preciosismos que vamos desvelando ao ouvir as várias secções dos temas, podia-se pensar que ao tomarem este rumo perderiam entidade ou peso; Nada disso!!! Se queriam fazer algo diferente sem perder qualidade foram bem sucedidos. (+)(+)

3º full lenght dos finlandeses e se ouviram os outros 2 álbuns, não vão ficar desiludidos com este. Pois estes moços não sabem fazer algo abaixo do que estão habituados; Pouco a pouco vão criando o seu espaço no universo musical e com todo o mérito. Neste estilo poucos conseguem manter o barómetro tão alto..(+)(+)(+)

Esperava-se que a médio prazo tivessem mais uns quantos êxitos, este álbum não é nenhuma surpresa, já se nota mais “dedo” da recente vocalista mas ainda não passa do razoável… A formula Arch Enemy já é característica, na minha opinião falta-lhe novos ingredientes, embora Will to power possua 3/4/ temas bons falta-lhe ainda a tal “cereja em cima do bolo”.


Prémio originalidade:

Zeal and Ardor :I yell satanic things in a gospel voice

Quem gosta de ouvir inovação vai sentir algum alivio depois de contemplar “Devil is fine”(2016) Doom/Black Metal meets Soul/Gospel incluindo outras sonoridades; A composição negra é expressivamente rica; Formados em 2014 membros suíços e americanos compõem esta banda: 3 vozes, baterista uma baixista e 2 guitarras disparam cantorias satânicas ,líricas diabólicas fazendo lembrar black sabbath (…)


Singles :


Live CD’s

É! confesso que não era uma das escolhas que havia pensado para esta secção, pois não são uma das minhas bandas favoritas, derivado à sua sonoridade…mas e agora?Porquê então? Creio que meia dúzia de temas introduzidos neste CD trazem uma lufada de ar fresco à banda, há um maior discernimento e definição, tornando este registo ao vivo, capaz de ser apreciado do principio ao fim, a meu ver, subiram uns pontos em consideração. Nota positiva.(+)

 

Advertisements

Kvelertak – Nattesferd (Must have!?)

(… Se fizesse o Best of 2016 agora, este tinha entrado! …e provavelmente para os primeiros lugares!É sensacional o trabalho que os finlandeses fizeram… Dinâmicos e eclécticos fundem Rock/Punk/Heavy/Black Metal; Todas as 9 faixas são uma surpresa, desbravando caminho até à notoriedade; No activo desde 2007 faz de Nattesferd o 3 álbum. Sinal muito positivo da minha parte(até vou ouvir os outros álbuns, promete!)… Espero que gostem… Rock On!!!)

Aghora

Enquanto ia desfolhando as playlists de mp3’s esquecidas, passei por esta obra prima (Formless) álbum lançado em 2006 pelos Aghora. Metal Progressivo com uma voz hipnotisante e melódica cheio de pequenas composições plenas de mestria, secção rítmica muito rica e Santiago Dobles (Cynic) na guitarra disparando tanto arpeggios como acordes harmoniosos, ele é o mentor deste projecto, utiliza dinâmicas jazzisticas proporcionando mais riqueza  aos temas… Na minha opinião um dos melhores álbuns progressivos de todos os tempos…

Na sua curta discografia contam com 2 álbuns e muitas alterações na formação… Formless conta com as participações de Sean Malone(Cynic) e  Sean Reinert(Cynic, ex-Death)

Tema tributo a Dimebag Darrel