Feliz 2017 Meus Amigos Metaleiros…

Ora para comemorar a saída de 2016 e uma entrada em GRANDE em 2017 aqui fica a Lista TOP20 dos Álbuns do Ano Metal e Rock de 2016 BY TC Devil.. Peço desculpa não colocar vídeos mas se fosse a carregar ficava aqui até amanhã e comemorava a passagem frente ao pc… por isso se vos agradar a minha lista (é provável que já conheçam a maior parte dos álbuns pois muito deles foram postados aqui no Blogue) search and destroyyyyyyyyyyyyyyyyyyyyy.. ou antes oiçaaaaaaaaaaaaaaaaaaammm .. eheheheh

Bom Ano AMIGOS…

20 – Tarja Turunen – The Shadow Self – Não tão brilhante como o My Winter Storm mas mais um álbum de qualidade com a excelente voz Soprano da (eterna ex vocalista) dos Nightwish..

19 – FleshGod Apocalypse – King – Black/Death com partes de musica clássica não é novidade mas os FGA elevam o seu som e estatuto no panorama Metaleiro com a edição desta obra prima..

18 – Ihsahn – Arktis – É com agrado que continuo a ouvir uma lenda viva do black Metal (mesmo após o fim dos Emperor) a evoluir para algo que se pode chamar o que quiser, mas o Black já não mora mais aqui…

17 – Anthrax – For All Kings – Não era bem o que esperava do primeiro álbum pós retorno do Belladona mas ao fim de algumas audições o álbum entranha e já não se estranha e com todo o mérito um dos Big 4(engraçado que só ficou a faltar uma banda  nesta lista) entra no Top20 do TC..

16 – Crematory – Monument – Sempre com o selo de qualidade do quinteto Alemão mais um álbum Goth/Industrial/Death qualquer coisa (e não são tão poucos assim).. só digo isto.. para quando um concerto em Portugal!?!?!!…

15 – Abbath – Abbath – O Ex- Immortal fartou se dos restantes elementos deu lhes um chuto no cu e fez se á vida… Obrigado Master Abbath pelo malhão de album, Obrigado pelo concerto no VOA e que venham muitos mais (álbuns e concertos) assim…

14 – Insomnium – Winters Gate – Album de faixa única continua arrabatador e o melhor até agora destes meninos (o que só por isso, já não é dizer pouco)

13 – In Flames – Battles – Finalmente Anders Friden e Companhia abriram a pestana e após uns álbuns menos conseguidos lançaram o melhor dos últimos dez anos… Ainda virado para o mainstream e o mercado Americano mas ainda assim de qualidade inegável.. (já agora, podem fazer o favor de vir cá ao Burgo?)

12 – Bé laktor – Vessels – Este álbum mete nos em transe e depois acorda os sentidos rebenta com tudo e volta a enviar tudo para o Nirvana (Repeat Repeat Repeat)

11- Testament – Brotherwood of the Snake – Velhos são os trapos e mais uma prova disso são os Testament.. Que malhão, que malhão e se existisse  os Big 5 certamente que os Testament seriam a banda que falta…

10 – killswitch Engage – Incarnate – Juntamente com os Lamb Of God os KSE são a banda de MetalCore que mantem o espirito de um género quase moribundo ainda com folego…

09 – Epica – The Holographic Principle – SupraSumo do Metal Sinfonico com Voz feminina e masculina os Holandeses nunca comprometem e lançam mais uma excelente edição sonora e visual (os digibooks da banda são sempre espetaculares) e quem sabe (para mim é mesmo) o melhor de sempre…

08 – Alcest – Kodoma – para alem do Cantona (que é fã do Sporting) também o metal francês está em Altas (bem demonstrado nesta lista) e um dos pináculos desse movimento são os Alcest com o seu metal progressivo de uma qualidade exemplar.. A Escutar sem falta…

07 – Opeth – Sorceress – Após tanto jejum um álbum de jeito de Mr Mikael Alkerfeld e os seus Suecos Maravilha, tem tudo aquilo que os tornou famosos e tão peculiares.. Good Good Good Stuff…

06 – Metallica – Hardwired.. To Self-Destruct – Quem diria que os Californianos (mais o Dinamarquês) lançariam uma Bomba destas após tantos anos … E para mim seria um álbum perfeito se em vez de dois cds, fosse só o primeiro juntando mais as faixas do segundo Confusion e Spit Out the Bone e aí estaria a concorrer qui sá ao primeiro lugar da lista…

05 – Megadeth – Dystopia – Trash Metal Moderno de qualidade com o Mr Dave Mustaine a solar (e a deixar os outros solarem) como já não se via nos Megadeth há alguns anos (não tanto como nos Metallica) mas mesmo assim… um álbum quase perfeito…

04 – Rotting Christ – Rituals – Os Gregos malham, já o sabemos, mas em Rituals elevam a fasquia bem alto.. isto è tão BOOOOOMMMMMMMMMM…

03 – Heavenwood – The Tarot of the Bohemians (Parte 1) – Os Portuenses são (para mim claro está) a seguir aos Moonspell o porta estandarte do Metal Made In Portugal… e este álbum comprava-o… Não fosse o interregno a seguir ao Swallow com a separação e fim da banda eu acredito que os Tugas hoje andariam (tal como os Moon) por voos bem Mais Altos…

02 – Dark Tranquillity – Atoma – Supera o The Gallery?!? Talvez não!!… mas anda lá perto….

01 – Gojira – Magma – E chegamos ao primeiríssimo lugar com uma banda que aqui o Je nem sequer gostava… até os ver ao vivo! (com muita chuva e cansaço de 3dias de festival) a partir daí foi descobrir toda a discografia e é com o lançamento deste Magma que me tornei fã e completamente rendido ao som dos “netos de Portugueses”.. Este álbum é BRILHANTE e para mim merece o primeiro lugar..

Ainda pensei colocar uns álbuns como menção honrosa mas deixa te estar quieto.. estes chegam e sobram…  Enjoy MetalHeads e fico á espera das vossas… Forte Abraço para TODOS…

Mulheres do Metal/Hard Rock – Parte X – Mia Larsson – A mulher dos vários instrumentos

Hoje, neste dossier Mulheres do Metal/Hard Rock trago-vos a Mia Larsson, a líder dos Dracena.

1a413d5546824362c3d7dcc0c325800e

A banda Dracena nasceu na Suécia, em 1994.
É liderada pela vocalista (e também guitarrista e baixista!) Mia Larsson. Começou por ser um Power Trio Feminino,  com um som que mistura thrash metal, black metal e death metal.
A primeira Demo saiu em 1997, com apenas 100 cópias, que incluíra músicas próprias e uma versão do Venom, In League With Satan.
Mas só em 1998 gravaram a  primeira demo oficial intitulada  Demonic Women.
Mas devido a mudanças na formação, esta demo só foi lançada verdadeiramente 99, com a seguinte formação: Mia (Vocais e Guitarra) Emma (Guitarra) Asa (Baixo) e Terror (Bateria).
Mas esta formação foi desfeita logo de seguida.
Dracena lançou ainda uma outra demo chamada Labyrinth of Darkness em 2001, e em 2006 a banda finalmente lançou um álbum de estúdio chamado, Infernal Damnation, com Mia na voz, na guitarra e no baixo e Daniel Moilanen na bateria.
Depois de vários anos sem gravar, em 2013 a banda lançou um EP chamado Revenous Bloodlust (2013):
Adoro este EP!!! Está muito poderoso e consistente, a voz de Mia está brutal!!! Ficamos a aguardar o álbum!!!
Recentemente, Mia anunciou que está preparando um novo álbum:
222
Mia participou/colaborou ainda nos seguintes álbuns:
•  Guitar Deathwitch – Triumphant Devastation (1995- 1996)
•  Vocals/guitars/bass Necrohell – Rise the Shadow Within (2002)
•  Vocals Decayed – 7″ Hell-Witch (2004)
•  Guitar Pagan Rites – 7″ Pagan Metal (2005)

Sim, isso mesmo, Decayed. A nossa menina preferida da suécia participou, com a sua voz, no EP Hell-Witch da mais conhecida banda portuguesa de black metal.

Aqui ficam mais uns vídeos de Dracena: