Mgla- O nevoeiro que dissipou a minha aversão ao Black Metal

 

Quem me conhece sabe que não sou muito fã de Black Metal. No entanto, já por mais do que uma vez dei por mim a gostar de um ou outro álbum do estilo, embora nunca esteja no top das das minhas preferências.

Já me tinha deparado com a banda “Mgla” (nevoeiro em Polaco) no passado, ouvira-a mas não me despertara grande atenção. Há dias atrás estava a navegar no youtube e apareceu a sugestão de ouvir o album Exercises in Futility, dos Mgla. Dei-lhes mais uma hipótese e ouvi o album na íntegra. BRUTAL! ADOREI! Gosto mesmo dos tipos. Por isso posso afirmar que pela primeira vez na minha vida, um album de Black Metal está no topo das minhas preferências. Entretanto, ouvi mais álbuns dos Mgla e apesar de não serem tão bons quanto este, são igualmente bons.

Este album é mesmo do caralho!!!!

Oiçam com atenção e digam-me lá qual é a melhor faixa do album: Exercises in Futility ou Exercises in Futility… ou ainda Exercises in Futility. É claramente a Exercises in Futility, não é?

 

Entretanto, por coincidência deparei-me com outra sugestão, nomeadamente o novo álbum de Abbath (álbum homónimo, de 2016) e não é que gostei. Não é tão bom, nem tão sublime como os Mgla, mas gostei. Acho que é caso para dizer que o meu gosto no metal está a atingir novos rumos, e o que até há dias atrás me parecia horrível hoje parece-me bem bom… ou estou a endoidecer… ou afinal gosto de black metal. Continuo a não gostar de Cradel of Filth, mas enfim… não se pode gostar de tudo, mas para quem tinha quase aversão ao Black Metal, afinal até gosto de mais bandas do género do que eu alguma vez poderia imaginar.

 

Advertisements

4 thoughts on “Mgla- O nevoeiro que dissipou a minha aversão ao Black Metal

  1. Boas mano… Não conheço Magla mas vou já pesquisar.. Thanks pela dica…
    Quanto á tua aversão ao black metal, é conhecida mas eu sempre te disse que havia bandas que tu devias gostar..
    o Abbath (que só por acaso vai ao VOA de Corroios no mesmo dia de Kreator e Anthrax) 😉 é um Ex-Immortal e eu logo no inicio do ano (quando saiu) tinha colocado aqui um post em como o álbum dele está do caralhooooooooooooo! 🙂 Se puderes e tiveres disposição para o fazer houve os álbuns “Damned in Black” e o “Sons of Northern Darkness” dos Immortal e acredita… vais te passar!
    Behemoth e Satyricon são Brutais e altamente aconselháveis para a tua “nova faceta Dark” e acredito que tambem vais gostar (o ultimo ao vivo dos Satyricon com uma orquestra sinfónica é divinal!)..
    Epahhhhh, Cradle of Filth a primeira vez que ouvi ODIEIIIIIIIIIIIIIIi aquela merda por isso percebo te perfeitamente!…
    Na altura só ouvia Sepultura, Pantera, Paradise Lost, Megadeth, Fear Factory, Metallica, Iron Maiden, Type O Negative pronto os clássicos e aparece me o puto Rui (Rui Cobanco) com o V Empire dos Cradle… Fugia daquilo Dude!! 🙂
    Mas sempre que lá ia a casa o chavalo estava sempre a ouvir aquela treta (naquela altura já era o Dusk and Her Embrace) e olha… lá encaixou e confesso já gostei mais, pois ultimamente a qualidade tem vindo a desvanecer dos trabalhos dos COF..
    Entretanto vejo no VIVA (tantas bandas que eu descobri com esse grande canal alemão) um concerto dos Dimmu Borgir ( Shragath a beber sangue de um copo e a cuspir para o publico) e pronto… apaixonei me pelo Black Metal sinfónico (pouco tempo depois comprei de uma só vez o EP Godless Savage Garden e o (provavelmente melhor álbum de sempre de black metal, pergunta ao Numa 🙂 ) Enthrone Darkness Trumphant dos Dimmu) que é OBRIGATORIO para qualquer fã do género! …
    Welcome to the Dark Side My Friend! 😉
    O Satan manda Abraços!! 🙂 ahahahahahah

    Like

    • tinha a mesma sensação com cradle of filth! é verdade as 1’s vezes ouvia e dizia que era impossível gostar daquilo, mas depois de tanto me interrogar ouvi exactamente esse álbum o dusk and her embrace 2/3 vezes, e não é que parecia que havia quebrado uma barreira pois a melodia era contagiante e parecia haver caminho para desbravar no black metal… mas acontece o mesmo com outros estilos… existe essa camada protectora que quando quebrada abre novas portas… tive a ouvir Mgla pois não conhecia, um trabalho muito interessante . Saudações

      Like

  2. Pois, eu já tinha ouvido abbath… pois foste tu que me mostraste, mas na altura não entrou… e coloquei logo de parte. Mas agora estranhamente entrou bem no meu “cérebro”… vou ouvir as tuas sugestões de Black Metal a ver se também entram melhor agora!!! Os Mgla abriram-me portas que eu pensava fechadas para sempre! abraço

    Like

  3. Ouvi o “Sons of Northern Darkness” dos Immortal, mas… não me entrou. Pensei cá para mim, bolas, parece que no black metal eu sou mesmo esquisito, pois há coisas que ainda não me entram. Fui ouvindo mais algumas de immortal de outros albuns mas não, não gosto. Acho abbath bem melhor, mais… coeso, mais musical… não sei explicar. Entretanto, fui mais uma vez tentar ouvir os mestres (que também nunca gostei) Bathory, e continuo sem gostar. Dimmu Borgir também não me entra… eu tento e tento, mas é demasiado sinfónico para mim…

    Behemoth e Rotting Christ, que vimos em Vagos também não me entram… Behemoth não é mau de todo, mas…

    Por enquanto Mgla e Abbtah continuam a ser as únicas bandas que gosto de Black Metal, mas bolas, hão-de haver outras, tenho de continuar a procurar…

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s