A este EU VOU SEM FALTA… Quem me acompanha?

Os Dinamarqueses D-A-D que têm em “Sleeping My Day Away” o maior sucesso da sua carreira, voltam a Portugal para actuar a 2 de Junho, no Paradise Garage, em Lisboa. Banda vêm tocar, na íntegra, os clássicos álbuns “No Fuel Left For The Pilgrims” e “Riskin’ It All”.

Os D-A-D são um desses casos raros de grupos de rock que conseguem manter uma carreira estável há mais de 30 anos sem revelarem sinais de cansaço. A par da boa forma do quarteto está a sua música, com um repertório de canções que se transformaram em hinos do rock – entre os quais “Sleeping My Day Away”, “Bad Craziness”, “Jihad”, “Grow Or Pay”, “Point Of View” e “I Won’t Cut My Hair” – prontos a serem entoados em uníssono pelo público que assiste aos seus concertos.

Na sequência do memorável espectáculo que assinou a 6 de Dezembro de 2014 no Paradise Garage, em Lisboa, o quarteto dinamarquês regressa ao local do crime para um concerto muito especial, em que vai tocar, na íntegra, os clássicos álbuns “No Fuel Left For The Pilgrims” e “Riskin’ It All”.

Originalmente conhecidos como Disneyland After Dark, os D-A-D formaram-se em Copenhaga em 1982 e estrearam-se como o longa-duração “Call Of The Wild”, quatro anos depois. Praticante de um auto-denominado cow punk (furioso punk rock carregado de influências country e southern rock), o grupo solidificou uma base de seguidores na Dinamarca natal à custa de uma versão de “A Horse With No Name” e do álbum seguinte, “D.A.D. Draws A Circle”, que incluía o single “I Won’t Cut My Hair”.

Umas décadas e muitos discos depois, “Sleeping My Day Away” ainda continua a ser a canção mais memorável e representativa do quarteto. Editado em 1989, o single atingiu de imediato o #23 da “Billboard” e trepou às tabelas de vendas em diversos territórios europeus, transformando-se num clássico daquela altura e mantendo-se, hoje em dia, como incontornável em qualquer playlist de clube ou rádio rock. O álbum de onde foi extraído, “No Fuel Left For The Pilgrims”, transformou-se num sucesso à escala mundial – mantendo-se, por exemplo, 16 semanas no top de vendas da longínqua Austrália.

Mais de 30 anos depois, os D-A-D mantêm-se no activo sem revelarem sinais de declínio criativo e assinando actuações explosivas.

“Post Society” of Voivod.

Escusado será apresentat os ENORMES Voivod, pois são uma das melhores bandas de metal de sempre. Os Voivod são únicos, pois ninguém soa como eles. Não são trash, não são heavy, não são death, não são doom… não são metal progressivo… não não são nada disso… e são ISSO TUDO o ao mesmo tempo!

Todos os albuns de Voivod são diferentes entre si, e todos são diferentes de tudo o que já foi editado no mundo da música. São, sem dúvida, uma das bandas mais inovadoras de sempre.

Poder-se-ia pensar que sem Piggy o som dos Voivod seria radicalmente afectado, mas o que é certo é que “Infini” e “Target Earth” são grandes álbuns.

Por isso fiquei muito feliz por saber que ainda este ano vão lançar um novo álbum.

Por agora, deram-nos um “rebuçado” com o lançamento do EP “Post Society”:

1. “Post Society” 6:17
2. “Forever Mountain” 5:12
3. “Fall” 6:42
4. “We Are Connected” 7:26
5. “Silver Machine” (Hawkwind cover)

 

Voivod forever!!!!